Inspeção Periódica de Dispositivos de Ancoragem Conforme NR35



?A Recomendação expressa na NR35 no item 3.1.2 “A inspeção periódica do sistema de ancoragem deve ser efetuada de acordo com o procedimento operacional, considerando o projeto do sistema de ancoragem e o de montagem, respeitando as instruções do fabricante e as normas regulamentadoras e técnicas aplicáveis, com periodicidade não superior a 12 meses” , deixa muito claro essa questão, infelizmente o que encontramos no dia a dia de nossas visitas técnicas em muitas empresas é o total descumprimento desse item que em meu entendimento é um dos mais fundamentais para que o trabalhador possa fazer suas atividades em altura com segurança; por mais que os produtos tenham adquirido tecnologia nos últimos anos, agregado a matérias primas de qualidade e durabilidade, todo sistema sofre diariamente esforços e ação do tempo, com isso a sua integridade somente pode ser comprovada com inspeções no mínimo anuais, porem em locais onde as atividades são constantes e as condições ambientais são desfavoráveis, requer uma periodicidade muito menor.

O profissional do SSMA deve ficar atento a essa questão crítica e procurar criar uma sistemática de inspeção aliada a uma frequência compatível com o risco e colocar em seu procedimento operacional de forma bem clara, as ações que devem ser seguidas à risca.

O treinamento dos usuários em relação ao sistema de ancoragem, as regras de segurança e os procedimentos em situações normais e também em situações de emergência, tem que estar claro para todos os envolvidos nas atividades, sempre com atenção especial aos terceirizados que não conhecem o dia a dia da empresa e as condições do meio ambiente que estão temporariamente expostos; cabe para esses atores uma capacitação diferenciada e atenção redobrada, principalmente porque os altos índices de acidentes de trabalho em altura estão concentrados em mais de 80% nessa população.

As inspeções de dispositivos de ancoragem do tipo A(classificação da NBR16325), que são os pontos de ancoragem fixos tipo plaquetas de ancoragem, quando instalados em estruturas de concreto precisam passar por teste de resistência à fixação anual, utilizando-se equipamento especifico devidamente calibrado, já os sistemas do tipo D que são as linhas rígidas, é importante verificar os suportes, parafusos, porcas e caso tenham solda na sua montagem, sempre fazer ultrassom das mesmas e observar possíveis trincas e processos de oxidação; nos sistemas do tipo C devemos focar nossa atenção aos seguintes aspectos principalmente: presilhas, olhais, esticadores, dissipadores de energia, cabo de aço e os pontos de ancoragem onde a mesma foi fixado.

Qualquer alteração que torne o sistema inseguro ou após um acidente, devemos interditar de imediato o sistema e chamar um profissional devidamente qualificado para avaliar as reais condições.

CARLOS ALBERTO GRANADO DIAS

TST E BOMBEIRO CIVIL